Federer vence Wawrinka e vai à final do Aberto da Austrália após sete anos

Roger Federer venceu o amigo Stan Wawrinka no dia 26, por 3 sets a 2

No duelo de suíços na primeira semifinal do Aberto da Austrália, o mais experiente se deu melhor. Roger Federer venceu o amigo Stan Wawrinka no dia 26, por 3 sets a 2, com parciais de 7/5, 6/3, 1/6, 4/6 e 6/3, e voltou à final do primeiro Grand Slam de 2017 após sete anos.

Número 17 do mundo atualmente, Federer começou o jogo avassalador e abriu dois sets a zero, entretanto, o número quatro do ranking da ATP venceu os dois sets seguintes e empatou a partida. Com uma quebra de saque, o ex-número um conseguiu recuperar seu ritmo para voltar à decisão australiana.
“No começo do terceiro (set), eu estava me sentindo bem e ele parecia um pouco lento. Então, de repente, ele relaxou e eu não poderia servir tão bem como eu fiz. Eu estava jogando apertado, não foi fácil”, disse o suíço sobre um incômodo que o atrapalhou durante a partida. “Se você sair da quadra (para o tratamento médico), isso significa que o tratamento está mais acima da perna”, continuou, divertindo a torcida.

Esta será a sexta final de Roger no Aberto da Austrália. Em Melbourne, ele já foi campeão em quatro oportunidades. Esta é a sua 28ª final em um dos quatro Majors e ele se estabelece ainda mais no topo nesta estatística.

A última vez que tinha chegado à final havia sido em 2010, quando ganhou do atual número um, Andy Murray, por 3 sets a 0. Suas últimas finais em grandes torneios, no entanto, não lhe trazem boas recordações, já que foi derrotado por Novak Djokovic em todas elas (Wimbledon 2014 e 2015 e Aberto dos Estados Unidos 2015).

“Eu nunca pensei em meus sonhos mais selvagens que viria tão longe na Austrália. E agora eu tenho alguns dias de folga. Não poderia ser mais feliz”, disse.

O maior vencedor de Grand Slams venceu pela última vez na grama de Londres, em 2012, diante do britânico Andy Murray. Federer agora espera na finalíssima do Aberto da Austrália o vencedor do duelo entre o espanhol Rafael Nadal e o búlgaro Grigor Dimitrov, que já é chamado de “Baby Federer”.

TÍTULOS

No melhor nível do tênis mundial desde 2004, quando assumiu a ponta do ranking da ATP, Federer conquistou 17 torneios de Grand Slam, 24 Masters 1000 e 6 Masters Cup. Além disso, detém o recorde de 302 semanas como número um do mundo. O torneio Major que mais venceu foi Wimbledon, com sete conquistas. Na Austrália foram quatro, nos Estados Unidos cinco e na França, um.

Maior campeão de Grand Slams da história, Roger Federer agora espera na decisão o vencedor do duelo entre Rafael Nadal e Grigor Dimitrov