Seis dos oito atletas mais rápidos da história foram pegos no doping

Assim que o doping foi comprovado, o Comitê Olímpico Internacional (COI) pediu alteração do resultado da prova de revezamento, desclassificando o ouro conquistado pela Jamaica nos 4 x 100m rasos

Seis dos oito atletas mais rápidos de todos os tempos testaram positivo no exame antidoping. Em reanálise de amostra dos Jogos de Pequim 2008, a confirmação de doping do jamaicano Nesta Carter pelo uso de metilhexanamina, afirmam estes números.

Assim que o doping foi comprovado, o Comitê Olímpico Internacional (COI) pediu alteração do resultado da prova de revezamento, desclassificando o ouro conquistado pela Jamaica nos 4 x 100m rasos. Com a substância estimulante, Carter participou da prova com outros três conterrâneos, Asafa Powell, Micheal Frater e Usain Bolt.

Além do ouro, os jamaicanos tinham batido o recorde mundial, com um tempo de 37s10. A desclassificação dos atletas alterou o resultado da prova e ainda deu ao Brasil a medalha de bronze. Vicente Lenílson, Sandro Viana, Bruno Lins e José Carlos Moreira (Codó), completaram a prova em 38s24 e herdam agora, a terceira colocação.

Dos mais rápidos velocistas nos 100 metros rasos, apenas o icônico recordista mundial Usain Bolt e o já aposentado Maurice Greene saem isentos do doping. Enquanto o jamaicano é o primeiro colocado com 9s58, o americano ocupa a sétima colocação com 9s79.

 

Confira os atletas mais rápidos dos 100 metros rasos: 

1º Usain Bolt (JAM): 9s58
2º Tyson Gay (EUA): 9s69
3º Yohan Blake (JAM): 9s69
4º Asafa Powell (JAM): 9s72
5º Justin Gatlin (EUA): 9s74
6º Nesta Carter (JAM): 9s78
7º Maurice Greene (EUA): 9s79
8º Steve Mullings (JAM): 9s80

Dentre os seis atletas testados com substâncias ilícitas, quatro deles são jamaicanos. Yohan Blake (3º mais rápido do mundo), Asafa Powell (4º), Steve Mullings (8º) e agora, Nesta Carter (6º) foram em algum momento punidos no exame antidoping. Da mesma forma, os americanos Tyson Gay (2º) e Justin Gatlin (5º).

Este último atleta, foi quem teve a punição mais severa. Gatlin foi campeão olímpico e mundial dos 100 metros e em 2001, foi suspenso por um ano depois de ter doping positivo no exame. Por reincidência, foi punido por mais quatro, em 2006.