Estilistas disputam para vestir Melania Trump em cerimônia de posse

Substituir Michelle Obama como primeira-dama dos Estados Unidos será uma tarefa nada fácil para Melania Trump, que assume o posto no próximo dia 20.

E, claro, o look que ela ira usar no dia da posse é um dos assuntos da vez.  A expectativa começou quando alguns designers renomados como Tom Ford e Marc Jacobs teriam se recusado a vestir a futura primeira-dama. Porém, alguns estilistas começam a declarar apoio e não descartam investir na ex-modelo como aposta da vez.

Em entrevista ao  jornal Women’s Wear Daily, o WWD, nesta quarta-feira, 18, grandes nomes da moda confirmaram que estão sim interessados em vestir Melania para baile de gala da posse. O nome da marca mais cotada para assumir a função é a grife americana Ralph Lauren — estilista que vestiu e apoiou Hillary Clinton durante a campanha presidencial.

Enquanto isso, Carolina Herrera disse que seria “uma honra” vestir a primeira-dama. Diane von Furstenberg ressaltou que era sim uma responsabilidade da indústria da moda “promover a beleza, a inclusão e a diversidade cultural, social e política”. O  polêmico estilista Tommy Hilfiger garantiu que sabe muito bem separar questões profissionais e pessoais e disse que “qualquer designer deve ter orgulho de vesti-la.”

No cenário internacional, o italiano Stefano Gabbana, da grife Dolce & Gabbana, rasgou elogios a Melania, quando ela surgiu com tubinho preto nada básico em jantar social de Ano Novo em Nova York. Até o alemão Karl Lagerfeld, que mora em Paris e é diretor criativo da grife Chanel, está cotado para desenhar peças exclusivas para a futura “first lady”. Façam suas apostas!

Ostentação
Acostumada a escolher looks grifados e de valores altíssimos, Melania já mostrou ser fã da moda europeia e da ostentação. Para seu casamento com Trump, em 2005, ela escolheu um vestido de noiva feito sob medida pelo lendário John Galliano, que comandava a grife francesa Dior.  Avaliado em 70 mil euros na época, cerca de R$265 mil, ela usou modelito tomara que caia com decote nas costas, saia volumosa e com bordados em ouro e pedras preciosas. Na época o assunto foi tão polêmico que ela fez sua “estreia” mundial na capa de Vogue, na edição de fevereiro daquele ano.
Tradição
Vale lembrar que não é comum a primeira-dama surgir com vestido preto ou sensual na festa da posse. Fã da cor vermelha, Melania teve a recomendação de apostar em cores mais sóbrias e discretas.  Entre os looks mais elogiados da história está o vestido rosa de Mamie Eisenhower, em 1953. Jackie Kennedy optou por um vestido branco, em 1961. Bird Johnson apostou em amarelo – uma cor alegre e otimista – para uma cerimônia inesperada após o assassinato chocante de John F. Kennedy, em 1963. Na lista não poderia faltar o longo branco de Michelle Obama em 2008, que acabou virando espécie de inspiração em todas as lojas nos EUA.

Melania estilosa até para votar em Nova York