Procurada por Zé, Fabiana não muda decisão de aposentadoria da seleção

Por decisão pessoal, a bicampeã olímpica decidiu aposentar a amarelinha após a Rio 2016

A forma física continua excelente. Tecnicamente, dispensa comentários. Aos 32 anos, completados esta semana, Fabiana dá sinais de que tem muito tempo de vôlei de alto rendimento pela frente. Porém, longe da seleção brasileira. Por decisão pessoal, a bicampeã olímpica decidiu aposentar a amarelinha após a Rio 2016. Mesmo procurada pelo técnico Zé Roberto, a ideia de se dedicar apenas ao seu clube – Praia – e a projetos próprios, continua.

– Estou com minha decisão ainda, firme e forte. Quero fazer algumas outras coisas fora o vôleibol dentro da seleção. Sei que agora é um grande momento e uma grande oportunidade. (Seleção) acabou – disse a jogadora.

Neste mês de janeiro, a Confederação Brasileira de Vôlei deu início ao planejamento das seleções nacionais para os Jogos de Tóquio 2020. Houve mudanças no comando masculino, com a saída de Bernardinho, mas entre as mulheres, Zé Roberto vai para seu 15º ano à frente do time.

Segundo Fabiana, o treinador, que a tem em seu grupo de confiança desde as primeiras convocações, em 2003, chegou a entrar em contato para sondar a possibilidade de retorno. Mesmo consciente de que ainda poderia contribuir, a central descarta participar de mais um ciclo olímpico.

– Com certeza (me procurou). Ele mandou mensagem. Eu estou até devendo um jantar para ele. Eu sei do meu papel ali dentro. Sei que fisicamente ainda posso ajudar muito a seleção. Mas acho que agora eu preciso desse tempo para mim. Acho que é uma coisa particular, um momento meu, e preciso que esse momento seja respeitado – concluiu.

Capitã do Brasil desde 2010, Fabiana serviu à seleção brasileira principal por 13 anos. Com apenas 19 anos, esteve em sua primeira Olimpíada, em Atenas 2004, e depois ajudou a equipe nas conquistas do ouro em Pequim 2008 e Londres 2012. Foi ainda sete vezes campeã do Grand Prix, a última delas em 2016, pouco antes da despedida nos Jogos Rio 2016.

Fabiana defendeu a seleção brasileria por 13 anos e foi bicampeã mundial