Caixa disponibiliza juros mais baixos para financiar a casa própria

A taxa de juros efetiva nominal dessa linha de crédito, destinada à compra da casa própria, é de até 8,66% ao ano, muito mais baixa que aquelas praticadas pelos bancos privados

A Caixa Econômica Federal vai destinar R$ 5 bilhões para a linha Pro-Cotista neste ano, de acordo com circular do Ministério da Fazenda publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (16).

A taxa de juros efetiva nominal dessa linha de crédito, destinada à compra da casa própria, é de até 8,66% ao ano, muito mais baixa que aquelas praticadas pelos bancos privados.

Do total destinado ao Pro-Cotista, “no mínimo, 60% (sessenta por cento) devem ser destinados ao financiamento de imóveis novos”, o que corresponde a R$ 3 bilhões.

A redação também manda usar, ao menos, R$ 3,5 bilhões para a compra de imóveis de até R$ 500 mil.

Os outros R$ 1,5 bilhão serão usados para a compra de residências de até R$ 800 mil, com exceção dos Estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo e no Distrito Federal, onde o limite é fixado em R$ 950 mil.

Em 2016, havia R$ 7 bilhões para toda a linha pro-cotista. Em abril, acabou o volume de recursos destinado para a faixa dois do programa, que engloba imóveis de R$ 225 mil a R$ 500 mil. Por isso, em julho daquele ano, o Conselho Curador do FGTS autorizou o remanejamento de R$ 1,7 bilhão para esses imóveis.

O dinheiro vem do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e só pode ser usado por quem ao menos três anos de trabalho sob esse regime. O interessado também não pode ter imóvel no município (ou região metropolitana) onde mora ou onde trabalha nem financiamento no SFH (Sistema Financeiro de Habitação), em qualquer parte do País.

Para completar, é necessário ter, ao menos, 10% do valor do financiamento do imóvel que deseja para se enquadrar nessa linha de crédito.

Imóveis mais caros

Se você quer financiar um imóvel mais caro, desde julho do ano passado, os mutuários da Caixa podem financiar imóveis de até R$ 3 milhões, o dobro do limite de financiamento em vigor até então, de R$ 1,5 milhão. A mudança afeta somente operações de crédito do SFI (Sistema Financeiro Imobiliário), que usa dinheiro da poupança e não mexe com o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Os juros dessa linha de crédito, porém, são mais caros. Para clientes sem relacionamento com o banco, os juros são de 12,25% ao ano. Quem tem conta-salário na Caixa pode conseguir 10,75% ao ano.

Além de aumentar o limite de crédito, a Caixa anunciou que passará a financiar uma parcela maior do valor dos imóveis por meio do SFI. A cota de financiamento para imóveis usados subiu de 60% para 70% do valor total. Para a compra de imóvel novo, construção em terreno próprio, aquisição de terrenos e reforma ou ampliação, a cota passou de 70% para 80%.