Seis em cada dez brasileiros não guardam dinheiro, diz SPC Brasil

Somente 7% dos entrevistados têm o hábito de guardar um valor fixo por mês

Pesquisa realizada pela primeira vez pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), e divulgada nesta terça-feira (21), mostra que 62% dos brasileiros afirmaram em janeiro não fazer qualquer tipo de poupança.

Somente 7% dos entrevistados têm o hábito que é o recomendável, de guardar um valor fixo por mês. Os outros 29% diziam que poupam apenas o que sobra no mês. Sendo assim, apenas quatro em cada dez brasileiros economizam dinheiro.

Entre os poupadores, quem ganha mais consegue poupar mais: 58% dos entrevistados das classes A e B afirmaram ser poupadores habituais.  Já nas classes C, D e E esse patamar cai para 30%.

Questionados sobre poupança feita no mês de dezembro, 75% dos entrevistados disseram que não conseguiram reservar nada da renda. Os 23% que admitiram ter guardado algum valor pouparam, em média, R$ 480,85.

O presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro, explica que o desemprego e a queda da renda minaram a capacidade de poupança de muitas famílias.

— A crise econômica certamente tem seu papel no resultado da baixa poupança. Com o crescimento do desemprego, o orçamento familiar tornou-se mais apertado e, em alguns casos, insuficiente até para honrar compromissos já assumidos.

A baixa poupança em um mês de 13º salário, como é o caso de dezembro, evidencia a necessidade de pagamento de contas. Entre os entrevistados, 46% dos poupadores habituais precisaram resgatar economias em dezembro. Os principais motivos foram o pagamento de dívidas e de contas da casa.

Segundo SPC Brasil, o Indicador de Reserva Financeira surge para mostrar a necessidade dos brasileiros na formação de poupança, uma vez que as regras para a aposentadoria estão prestes a se tornarem mais rígidas.

Porém, apenas 17% dos entrevistados disseram que poupa com foco na aposentadoria.