Receita para o Carnaval: alimentação saudável e muito líquido

Para nutricionista, o Carnaval é uma boa atividade física para gastar calorias, porém é importante atentar a reposição destas substâncias

Quem é apaixonado por Carnaval não espera os dias oficiais da festa para pular e se divertir ao som das marchinhas tradicionais deste evento. Para muitos, as comemorações começam semanas antes ou mesmo meses antes. Seja em ensaios de escolas de samba, blocos, bailes pré-carnavalescos etc.

Se você faz parte deste grupo de foliões, deve ter em mente que o corpo precisa de certos cuidados extras nesta época do ano. De acordo com a nutricionista e professora da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Fase), Brigitte Olichon, o Carnaval é uma boa atividade física para gastar calorias, mas é necessário cuidar dos alimentos e líquidos que vão ser repostos.

“Pular Carnaval é uma atividade física considerável. As calorias gastas devem voltar para o organismo de forma saudável, ou seja, através de alimentos nutritivos e frescos: saladas cruas e cozidas, carboidratos (arroz, massa, macarrão, batata, etc.) e proteínas magras”, ensina a especialista.

Alimentação carnavalesca: saiba em que apostar

A dica dada pela nutricionista para ter sucesso no Carnaval é comer bem antes de sair de casa. Além disso, a profissional indica quais as melhores opções de alimentos, como: frutas e carboidratos, dando sempre preferência aos integrais, pois eles garantem um tempo maior de energia.

“Durante o ‘arraso’, prefira barra de cereais, água de coco, suco natural e, se o esforço for muito grande, uma dessas bebidas isotônicas bem geladas. Mas não exagere, porque elas também têm muito sódio e podem provocar um pouco de inchaço. E, depois de terminada a folia, o ideal é comer alimentos ricos em proteínas, como carnes magras, ovos (não fritos!), iogurte ou gelatina, para ajudar os destroçados músculos a se recuperarem”, aconselha.

O que evitar no carnaval?

Da mesma maneira em que há alimentos considerados ótimas opções para serem consumidos no Carnaval, há aqueles que não devem fazer parte deste período de festa. Um exemplo disso sãos as comidas gordurosas, frituras, petiscos etc.

Isto porque, além de provocarem diarreia, febre e vômitos, “muitas vezes nem sabemos de que forma foram feitas essas comidas disponíveis nas ruas. Qual a qualidade do alimento, a higiene no processo? Pode ter havido reaproveitamento de óleo… Melhor não arriscar!”

A nutricionista também recomenda evitar o consumo de bebidas alcoólicas ou, pelo menos, controlar o excesso delas. “O álcool desidrata o organismo e engana a fome, além de bombardear o fígado e provocar a ‘ressaca’. Tudo isso, sem contar as calorias ‘vazias’ que toda bebida alcoólica tem, umas mais, outras menos”,  finaliza a nutricionista.

Fonte: Garota Beleza