São Paulo teve fevereiro mais quente e seco em 12 anos

Nesses 74 anos, fevereiro de 2017 foi o 6º menos chuvoso. O primeiro colocado foi fevereiro de 1984, com apenas 32,5 mm de precipitação, seguido de 2005, com 99,9 mm

O mês de fevereiro na capital paulista foi anormalmente quente e seco. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), não chovia tão pouco na cidade desde 2005.

No mês que se encerrou nesta terça-feira de carnaval, houve um total de 127,3 mm de precipitação na estação meteorológica localizada no Mirante de Santana, zona norte – 46% abaixo da média histórica de fevereiro, que é de 237,4 mm. Em apenas 9 dias do mês houve registro de precipitação, contra a média de 16 dias do registro histórico, que teve início em 1943.

De acordo com o Inmet, o maior volume de chuva em 24 horas ocorreu no dia 7 – 38,2 mm. Depois disso, foram 15 dias seguidos sem nenhuma gota d’água no mirante.

Nesses 74 anos, fevereiro de 2017 foi o 6º menos chuvoso. O primeiro colocado foi fevereiro de 1984, com apenas 32,5 mm de precipitação, seguido de 2005, com 99,9 mm. Em seguida vem 2003 (109,4 mm), 1955 (116,8 mm) e 1959 (120,3 mm).

Na comparação com o ano passado, este fevereiro também teve menos da metade da chuva do mesmo mês em 2016, que registrou uma precipitação de 275,1 mm.

As altas temperaturas colocam o mês que se encerra também em destaque no ranking de calor. O dia 19, que registrou um pico de 34,7 °C, foi o segundo dia mais quente para um mês de fevereiro no registro histórico, perdendo somente para 7 de fevereiro de 2014, que teve um pico de 36,4°C.

Para avaliar a posição no ranking de temperatura, o Inmet calcula a média das máximas e das mínimas. A primeira foi de 30,5°C, contra a média histórica de 28,2 °C para o mês. Já a média mínima foi bem mais alta – 19,7 °C, contra a média histórica de 18,9°C. Segundo o instituto, isso aponta que foi um “mês com anomalias quentes de temperatura”.