Contra Uruguai a ordem de Tite é atacar: ‘Espero que a seleção jogue muito’

Adversário do Brasil no duelo desta quinta tem 100% de aproveitamento em Montevidéu

Alisson no gol. Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Marcelo formam a primeira linha. Casemiro cuida do reforço à zaga. Philippe Coutinho, Paulinho, Renato Augusto e Neymar no meio de campo. No ataque, Roberto Firmino sozinho e centralizado.

Esta é a escalação que Tite escolheu para o Brasil encarar o Uruguai, nesta quinta-feira (23), em Montevidéu, no Estádio Centenário. Com ela o treinador mantém o esquema 4-1-4-1 que tem dado certo desde que assumiu a seleção – são seis vitórias em seis jogos pelas Eliminatórias Sul-Americanas e Tite ainda pode se tornar recordista histórico da Canarinho caso triunfe sobre a Celeste.

Sem Gabriel Jesus, machucado, o técnico optou por Firmino para a vaga central na linha de frente por duas razões. A primeira, uma escolha natural baseada em seus conceitos. O jogador do Liverpool esteve presente em três das quatro convocações de Tite e, inclusive, substituiu Gabriel Jesus em dois jogos marcando um gol contra a Bolívia. A segunda, e mais prática, é que com Firmino o time continua vertical quando tem a posse de bola. Isso porque o outro postulante para a posição é Diego Souza, meia no Sport, mas convocado por Tite para fazer o papel de pivô, estático, se treinador achar necessário.

“Grandes momentos do Firmino no Liverpool, o Diego Souza da mesma forma, principalmente ano passado no Sport, referência no Campeonato Brasileiro. Firmino tem entrado bem, inclusive fazendo gol, se justifica por si só a escolha dele”, resumiu Tite.

 

Mas, do outro lado uma pedreira aguarda o Brasil: o Uruguai não é derrotado em casa desde 2010 e tem 100% de aproveitamento no Estádio Centenário nas Eliminatórias para a Copa de 2018. O poder da cancha celeceste derrubou no primeiro turno Chile e Colômbia, duas das principais forças do continente, ambas por 3 a 0.

“O Uruguai venceu seus seis jogos em casa, em cinco saiu vencendo no primeiro tempo”, lembrou Tite. “Ele imprime ritmo muito forte, são características de um jogo muito vertical, Sánchez com muita velocidade, tem Cavani, Rolán trabalhando por dentro. Crístian pelo lado. O que nós vamos procurar fazer é repetir um padrão, marcar onde a bola estiver. Espero que a equipe jogue muito, saiba que haverá momentos de impor, ser melhor e dominar, mas terá momentos de marcar e sofrer”, resumiu Tite.