Câncer de mama: conheça 8 mitos e verdades sobre a doença

Sérgio Mendes, mastologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo, esclarece mitos e verdades sobre o câncer de mama

O câncer de mama é o tipo que mais acomete as mulheres em todo o mundo. Quando diagnosticada precocemente, a doença apresenta até 90% de chance de cura. Por isso, a prevenção é importantíssima e, quanto mais informações sobre a doença, mais fácil será detectá-la, seja pelo autoexame ou por exames clínicos periódicos.

O mastologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo, Sérgio Mendes, esclarece a seguir as principais informações – verdades ou apenas mitos? – sobre o câncer de mama.

Confira os 8 mitos e verdades sobre o câncer de mama

1. Fazer mamografia uma vez ao ano é o primeiro passo para detectar o tumor.

VERDADE. A mamografia e o autoexame são essenciais para o diagnóstico precoce da doença. Se houver histórico familiar, a recomendação é fazer o exame a partir dos 25 anos; se não, após os 40 anos.

2. O tamanho do tumor indica a agressividade do câncer.

MITO. O tamanho do tumor é um fator de risco bastante relevante, no entanto, também existem outros fatores importantes, como idade, localização, tipo e subtipo do tumor.

3. Todo caroço na mama é um câncer.

MITO. Existem nódulos benignos ou cistos, por isso, nem todo caroço na mama é um câncer. É importante ressaltar que qualquer paciente que identificar um caroço no seio deve procurar um mastologista, pois mesmo um nódulo benigno pode exigir acompanhamento médico.

4. Praticar atividades físicas ajuda na prevenção da doença.

VERDADE. Caminhar cerca de 30 minutos ao dia já é benéfico.

5. O câncer de mama sempre aparece como um caroço.

MITO. De acordo com Mendes, existem duas formas principais de aparecimento da doença: caroço ou microcalcificação. No caso da segunda, apenas a mamografia é capaz de diagnosticar precocemente a doença. Há ainda casos em que ocorre uma secreção pelo mamilo ou a descamação da auréola e do mamilo.

6. Casos na família aumentam o risco da paciente.

VERDADE. Ter parentes próximos, como avó, mãe, irmã ou filha, com câncer de mama aumenta em até 80% o risco de manifestar a doença.

7. Mesmo sem casos na família, a mulher pode desenvolver a doença.

VERDADE. Nenhuma mulher está imune ao câncer de mama. Por isso, mesmo sem casos na família, o risco de desenvolver esse tipo de câncer é de 12%.

8. Apenas o autoexame é suficiente para descobrir o câncer.

MITO. O autoexame é responsável por cerca de 80% dos tumores descobertos pelas pacientes, no entanto, ele não é capaz de detectar todos os tipos de tumores, principalmente nas fases iniciais.

O Instituto Nacional do Câncer (Inca) recomenda a consulta com um médico, a realização do exame clínico de mama e a mamografia.