Confronto entre índios e fazendeiros deixa baleados e vítima com mãos decepadas no Maranhão

Conflito ocorreu no povoado Bahias, localizado no município de Viana, a 214 km de São Luís

Um confronto entre indígenas e fazendeiros terminou com 16 feridos — 13 indígenas e três fazendeiros — na noite do último domingo (30) no povoado Bahias, na cidade de Viana, a 214 km de São Luís, capital do Maranhão.

A Secretaria Estadual de Saúde informou que um indígena de 37 anos foi baleado no tórax, teve as mãos decepadas e foi levado ao Hospital Regional Dr José Murad, em Viana. Ele foi identificado como Aldeli Ribeiro pelo Conselho Missionário Indigenista (CIMI). A vítima foi transferido em estado gravíssimo para o Hospital Djalma Marques, em São Luís.

Um outro indígena ainda não identificado também teria tido as mãos decepadas.

Ainda segundo o CIMI, José Ribeiro, irmão de Aldeli, foi atingido com um projétil no peito. Inaldo Cerejo, uma liderança indígena atuante no Estado, foi baleado no rosto e nas costas. Até a tarde de ontem, o estado dos índios internados era grave.

A Secretaria Estadual de Saúde disse ainda que outros dois pacientes — Domingos Gomes Rabelo, de 60 anos, e Jorge Albuquerque Rabelo, de 36 anos — foram atingidos de raspão por arma de fogo, ficaram em observação no hospital de Viana e foram liberados na manhã desta segunda-feira (1º).

Conflito

Em nota, o CIMI destacou que dezenas de gamelas deixavam uma área reivindicada pela etnia no povoado de Bahias, interior de Viana, quando foram surpreendidos pelo bando armado. O ataque ocorreu entre 16h30 e 17 horas.

Nesse momento, ainda segundo o CIMI, uma patrulha da Polícia Militar estava no local, mas não interveio. As lideranças indígenas cobram uma investigação para descobrir a autoria do atentado.

O governo estadual afirmou que as polícias civil e militar atuaram, conjuntamente, para resolver a questão ontem à noite. A PM, ao chegar ao local, agiu para conter os ânimos de fazendeiros e índios gamela.

O delegado-geral Lawrence Melo destacou que os policiais que compareceram ao local deram prioridade à prestação de socorro das vítimas.

— O confronto, que aconteceu entre indígenas e fazendeiros com seguranças, foi descontinuado após a intervenção policial. A polícia prestou socorro aos feridos, que foram encaminhados aos hospitais da região. Todos os fatos são objeto de investigação pela Policia Civil que também enviou equipes ao local do conflito, integrando às equipes da PM que atenderam a ocorrência.

O secretário de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), Francisco Gonçalves, está acompanhando o caso e informou que os envolvidos serão ouvidos na investigação policial.

— A Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular está acompanhando o caso juntamente à Segurança Pública. Uma equipe formada pela Sedihpop, Ouvidoria de Direitos Humanos e Programa a Proteção de Defensores de Direitos Humanos ouvirão os feridos transferidos para São Luís e farão visita/escuta também em Viana. O governo do Estado está agindo no sentido de garantir a segurança na área, que envolve os municípios de Viana e Matinha.

As lideranças indígenas exigem do governo do Estado e da Fundação Nacional do Índio (Funai) proteção para as famílias gamelas que moram em aldeias no município.