Com mudanças, Palmeiras encara Jorge Wilstermann de olho em vaga nas oitavas de final da Libertadores

Eduardo Baptista não contará com Zé Roberto e Dracena, que nem viajaram para a Bolívia

Dono de uma das melhores campanhas da primeira fase da Libertadores, o Palmeiras entra em campo nesta quarta-feira (3) para encarar o Jorge Wilstermann, da Bolívia, precisando apenas de um empate para garantir o primeiro lugar do Grupo 5 da principal competição da América do Sul.

Para este jogo, Eduardo Baptista precisará promover mudanças. Por conta de lesões, Zé Roberto e Edu Dracena nem viajaram para a Bolívia. Além deles, Miguel Borja, principal contratação do time no ano, poderá começar o jogo entre os reservas, dando lugar a Willian, que, por sua vez, vive grande fase.

Outra ausência garantida no Palmeiras é a de Felipe Melo, suspenso por três jogos pela Conmebol por conta da briga com jogadores do Peñarol, no duelo em Montevidéu na última quarta-feira (26). Thiago Santos será o dono da posição no meio de campo. Na zaga, Vitor Hugo entra na lacuna deixada por Edu Dracena.

Michel Bastos entre os titulares é outra novidade do time de Eduardo Baptista. A novidade, no entanto, fica por conta da posição do jogador em campo. Com Zé Roberto lesionado e Egídio tendo um ano bastante irregular, o camisa 15 será o lateral-esquerdo contra os bolivianos.

O provável Palmeiras para a partida contra o Jorge Wilstermann tem: Fernando Prass; Jean, Mina, Vitor Hugo e Michel Bastos; Thiago Santos, Tchê Tchê, Guerra, Róger Guedes (Willian) e Dudu; Willian (Borja). A partida será realizada no Estádio Felix Capriles, em Cochabamba, às 21h45, horário de Brasília.

Um adversário certo do Palmeiras no jogo desta quarta-feira será a altitude de cerca de 2600 metros. Após o treino de reconhecimento do gramado na terça, o lateral-direito Jean falou sobre a situação. “Não senti muito (a velocidade da bola). Pelo menos nas viradas que fizemos no aquecimento, nos cruzamentos… Acho que a única diferença é quando você bate forte para o gol, pega uma velocidade rápida. Mas cruzamento e domínio não vi muita diferença, não”.