Nadal atropela Wawrinka na final e conquista Roland Garros pela décima vez

Tenista espanhol não teve grandes dificuldades contra o suíço no Grand Slam francês

Roland Garros definitivamente tem um dono. Neste domingo, Rafael Nadal mostrou por que é o melhor tenista da história no saibro e conquistou o Grand Slam francês pela décima vez ao dar uma verdadeira aula e atropelar o suíço Stan Wawrinka na decisão por 3 sets a 0, com parciais de 6/2, 6/3 e 6/1, em apenas 2h05 de partida.

Trata-se, também, do 15.º troféu de Grand Slam levantado pelo espanhol, ultrapassando Pete Sampras, após um “jejum” de três anos, já que o último havia sido justamente em Roland Garros, em 2014. De lá para cá, Nadal enfrentou diversos problemas físicos no joelhos e chegou a dar a impressão de que não mais voltaria a jogar em alto nível.

Mas o espanhol sempre foi conhecido pelo estilo aguerrido e por nunca desistir, e desta vez não seria diferente. Nadal não apenas retornou ao circuito, como dá mostras de estar vivendo o melhor momento da carreira no saibro. Em 2017, por exemplo, ele perdeu somente uma partida neste tipo de quadra até o momento, em 25 duelos disputados.

Não à toa, a temporada 2017 tem sido especial para o espanhol e marcada pelo número 10. Neste ano, ele chegou não apenas ao décimo título em Roland Garros, mas também em Montecarlo e Barcelona. Com a marca, ele é o segundo atleta com maior número de títulos em um mesmo Grand Slam, ultrapassando as nove conquistas de Martina Navratilova em Wimbledon e atrás somente das 11 de Margaret Court na Austrália.

PARIS, FRANCE – JUNE 11: Rafael Nadal of Spain celebrates victory by kissing the trophy following the mens singles final against Stan Wawrinka of Switzerland on day fifteen of the 2017 French Open at Roland Garros on June 11, 2017 in Paris, France. (Photo by Julian Finney/Getty Images)

Talvez nem o próprio Nadal esperasse esta volta por cima, e provavelmente por isso, o espanhol tanto se emocionou neste domingo. Mesmo acostumado a levantar troféus em Paris, imediatamente após o último ponto, conquistado em erro de Wawrinka, o tenista desabou no chão e caiu nas lágrimas.

A superioridade de Nadal este ano em Roland Garros é traduzida nos números. Em sete partidas, o espanhol não perdeu sequer um set – igualando o que havia alcançado em 2008 e 2010 – e cedeu apenas 35 games aos adversários, segunda melhor marca da história em Grand Slams desde que passaram a ser disputados em cinco sets.

Se não encontrou qualquer dificuldade ao longo do torneio, não foi Wawrinka que se tornou um obstáculo para Nadal. O suíço só conseguiu segurar o espanhol nos primeiros games, e às duras penas. Mas depois de muito pressionar, o número 4 do mundo quebrou o serviço do adversário no sexto game, repetiu no oitavo e fechou o primeiro set.

A vantagem embalou Nadal, que voltou para a segunda parcial ainda mais confortável, aproveitando um break point no saque de Wawrinka logo de cara. O suíço até chegou a ameaçar devolver a quebra, mas não concretizou.

E com dois sets na frente, parecia questão de tempo a conquista de Roland Garros mais uma vez. O troféu ficou ainda mais próximo quando Nadal voltou a quebrar Wawrinka logo no segundo game. Desestabilizado, o suíço desmoronou e viu o espanhol repetir a quebra no quinto e no sétimo game para confirmar o histórico triunfo.

Com o resultado, Nadal tem um incrível retrospecto de 79 vitórias e somente duas derrotas em Roland Garros. Em partidas de melhor de cinco sets no saibro, o número é ainda mais impressionante: 102 triunfos e somente dois resultados negativos. E aos 31 anos, o espanhol parece cada vez mais dominante no piso.