De cabelo cortado, Joesley Batista volta ao Brasil e presta depoimento sobre campanha de Dilma e Lula

Empresário que gravou Michel Temer disse em nota que não estava passeando em Nova York

O empresário Joesley Batista, dono da JBS e autor da gravação de conversa com o presidente Michel Temer, voltou ao Brasil no último domingo (11). Em nota, ele afirma ter viajado à China para “proteger a integridade de sua família”.

Antes de seu retorno, Joesley teria cortado o cabelo, para não ser reconhecido. Ele não vinha ao Brasil desde que a gravação de Temer veio à tona.

Na nota emitida por sua assessoria de imprensa, o empresário, que assinou acordo de delação premiada, afirma que está “pessoalmente à disposição do Ministério Público e da Justiça brasileiros para colaborar de forma irrestrita no combate à corrupção”.

Na segunda-feira (12), o empresário prestou à Procuradoria da República no Distrito Federal depoimento ligado à Operação Bullish, que investiga irregularidades no BNDES. O depoimento foi autorizado pelo juiz Ricardo Leite.

Ele e o executivo da JBS Ricardo Saud, que também depôs, foram questionados sobre recursos repassados para as campanhas dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, por meio de supostos desvios no BNDES. A investigação não tem relação com a delação premiada que Joesley fechou com a Procuradoria-Geral da República.

Leia íntegra da nota emitida pelo empresário sobre seu retorno:

“O empresário Joesley Batista informa que está no Brasil desde domingo passado.

Ele se ausentou do Brasil nos últimos dias para proteger a integridade de sua família, que sofreu reiteradas ameaças desde que ele se dispôs a colaborar com o Ministério Público.

Joesley Batista estava na China – e não passeando na Quinta Avenida, em Nova York, ao contrário do que chegou a ser noticiado e caluniosamente dito até pelo presidente da República. Não revelou seu destino por razões de segurança. Viajou com autorização da Justiça brasileira.

Joesley é cidadão brasileiro, mora no Brasil, paga impostos no Brasil e cria seus filhos no Brasil. Está pessoalmente à disposição do Ministério Público e da Justiça brasileiros para colaborar de forma irrestrita no combate à corrupção.”