Elefante-marinho é devolvido ao mar após reabilitação no Espírito Santo

Após o aval veterinário, o animal foi solto nesta segunda-feira (12), na praia do Guriri, na cidade de São Mateus, mesma região onde foi salvo.

O elefante-marinho Fred retornou ao mar após 139 dias intensos de tratamento, depois de ter sido resgatado com baixo peso e com problemas de saúde no litoral norte do Espírito Santo. Fred foi resgatado em janeiro deste ano quando com diversas feridas pelo corpo.

O elefante-marinho havia sido flagrado em várias praias do litoral e chegou a ser ferido por moradores, que jogaram pedras e paus no animal indefeso. Após o resgate, o animal recebeu medicação necessária e ingeriu entre 20 e 30 peixes diariamente, para recuperar a massa corporal.

Fred, que recebeu esse nome pelos moradores locais, recebeu os cuidados de veterinários e biólogos em uma base do Projeto de Monitoramento de Praias da Petrobrás, feito pela empresa Scitech em parceria com o Instituto Mamíferos Aquáticos e do Instituto de Pesquisa e Reabilitação de Animais Marinhos (Ipram).

Mas antes de retornar ao mar, o elefante-marinho teve que passar por diversos exames para atestar a ausência de agentes infecciosos que a espécie pode sofrer. A soltura foi realizada com a ajuda do Núcleo de Educação e Monitoramento Ambiental (Nema) da Universidade Federal do Rio Grande (RS) e do Instituto Baleia Jubarte.

Fred recebeu uma espécie de brincos com numeração nas nadadeiras posteriores e um chip sob a pele para facilitar a identificação dele pelos estudiosos, caso apareça em alguma praia novamente. Ele também recebeu uma espécie de antena que permite que o deslocamento seja monitorado por satélite. O intuito dessas ações é permitir que os pesquisadores entendam mais sobre o comportamento da espécie no litoral do Brasil, permitindo estudos mais aprofundados sobre a conservação da espécie.