Pacientes passam 2 dias em sala de espera em hospital lotado do Estado

Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia tem idosos aguardando em pé

Superlotado, o pronto-socorro do Instituto Dante Pazzanese, hospital do governo do Estado referência em cardiologia, tem pacientes aguardando na sala de espera por procedimento médico há dois dias. Sem bancos suficientes, parte dos pacientes — na maioria, idosos — tem de aguardar em pé ou sentados no chão.

Na tarde de quinta-feira (14), o R7 constatou que as cadeiras da recepção estavam todas ocupadas. Cerca de 40 pessoas estavam na sala, o que obrigava, por falta de espaço, os recém-chegados a ficarem em um corredor que dá acesso ao local. Ali, pacientes esperavam de pé. Ao menos três, preferiram se acomodar no piso.

Na sala onde pacientes que já passaram pela recepção aguardavam atendimento, havia outras 60 pessoas. Todas as cadeiras estavam ocupadas. E, além de pessoas sentadas, havia idosos aguardando em pé, encostados nas paredes entre as portas dos consultórios. Alguns também estavam no chão sentados.

Além dos pacientes que aguardavam nos bancos, havia uma sequência de pessoas em cadeira de rodas. Uma delas era Odair Vieitas de Magalhães, que dizia ter chegado às 10h30 do dia anterior. Ele esperava por um cateterismo.

De acordo com Cleonice da Costa Cruz Magalhães, mulher de Odair, ele deu entrada no hospital no último domingo (10), após “se sentir mal”. Segundo a mulher, ele foi submetido a dois eletrocardiogramas e um exame de raio x, mas foi dispensado pelo médico que não detectou nenhum problema mais grave.

Cleonice afirma que, como a sensação de mal-estar não cessou, ela acompanhou o marido novamente ao instituto na manhã da última quarta-feira (13). Então, outra médica teria solicitado um exame de sangue para diagnóstico do problema. Segundo Cleonice, foi detectado, após o exame, que Odair tinha sofrido um infarto no domingo.

— Está lotado e lotando cada vez mais. Então, está um caos.

Ao serem questionados sobre a demora no atendimento a Odair, funcionários do instituto responderam que ela ocorreria pela lotação nos leitos destinados ao cateterismo. A capacidade estaria esgotada pelo aumento de casos emergenciais vindos de outras instituições de saúde que não estão realizando procedimentos feitos pelo Dante Pazzanese

Ao lado Odair, outro paciente afirmou esperar também há mais de um dia por procedimento de cateterismo. Sobre a mesa do local, havia uma série de prontuários enfileirados.