Desemprego na Grande São Paulo sobe para 18% em 2017

De acordo com dados divulgados pelo Dieese, foram fechados 119 mil postos de trabalho associados à População Economicamente Ativa

O nível de ocupação no mercado de trabalho na Região Metropolitana de São Paulo diminuiu 1,3% e a taxa de desemprego na Grande São Paulo aumentou de 16,8% em 2016 para 18% em relação ao ano anterior, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira (31) pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), por meio da PED-RMSP (Pesquisa de Emprego e Desemprego na Região Metropolitana de São Paulo).

Com isso, foram fechados 119 mil postos de trabalho associados à PEA (População Economicamente Ativa) da região, o que resultou no aumento do número de desempregados em 137 mil pessoas.

No ano passado, a região também contou com redução no contingente de assalariados em 3% devido ao decréscimo no setor privado (-2,5%) e no emprego público (-3,8%).

No setor privado, o destaque vai para a diminuição dos assalariados com carteira de trabalho assinada, gerando a eliminação de 165 mil postos de trabalho. O número de trabalhadores autônomos cresceu (7,3%), principalmente entre os que trabalham para o público (10,4%). Houve uma redução no número de empregados domésticos (-5,7%) e de empregadores (-4,7%).

Além do aumento do desemprego, a região também teve uma redução nos rendimentos médios reais de ocupados e de assalariados, e elevação para os autônomos. O rendimento passou a equivaler a R$ 2.033, R$ 2.089 e R$ 1.658, respectivamente.